31 julho 2009

Os Concursos de Professores





Acabei de concorrer a DACL. Visto assim parece um daqueles síndromes, "invenções" médicas, de que já ouvimos falar mas nem sonhamos o que possa ser. DACL significa Destacamento por Ausência de Componente Lectiva. Pois, agora além de ser PQZPND estou também no DACL. Haja paciência...

Sou professora há... deixa cá contar as terras e escolas por onde passei... Caldas, Caldas, Caldas, Peniche, Cadaval, Odemira, Aljustrel, Odemira, Serpa, e Vila Nova de São Bento quatro anos... Ora isso dá... 13 anos... e eu que pensava que eram só doze... Pois, sou professora há treze anos, sempre com horário completo (tirando o primeiro ano) e ainda não estou fora do DACL. Sou Quadro de Zona, o que significa que estou vinculada à zona do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral, de Sines a Barrancos. Este ano, depois de quatro anos de estabilidade numa escola que adoro e onde estabeleci laços com os alunos e com os colegas, tenho que concorrer de novo. Como já disse, acabei de o fazer, de verificar os códigos todos, de afirmar que não quero saír desta zona (a possibilidade mais próxima era Lisboa Norte... sim, está bem está!).

Posso parecer mal-agradecida, mas esta nossa carreira é das únicas em que depois de 13 anos, e oito anos de efectivação a uma zona, ainda não estou vinculada a uma escola. É como se agora um funcionário da Câmara de Serpa, por exemplo, fosse obrigado a concorrer para Trás-os-Montes ou para o Porto, não me faz sentido. Estas alturas de concurso são sempre muito agitadas para mim, tenho receio de ir parar numa escola longe, ou numa escola que não goste. Mas, ao mesmo tempo, acredito, e tenho fé, que o local onde for colocada será o mais adequado para mim neste momento. Sim, acredito que Deus move-se de formas misteriosas.... Há cinco anos atrás, quando vim para Serpa, não entendi o porquê. Amava Odemira de coração e vísceras e não me imaginava a viver longe de tão especial local. Agora, olhando para trás e para as minhas resistências, entendo porque vim para Serpa. Para aprofundar os meus mergulhos em Reiki, para conhecer novas pessoas, para ajudar a criar a Associação Ser Vida, para... sei lá, para tanta coisa... Para fazer amigos novos, tantos, de coração!

E agora. O que me reserva o próximo ano? Neste momento, tenho borboletas no estômago, mas no fundo sei que será bom. Só resta saber onde.

Sem comentários: