15 maio 2010

Qui Gong, ou Chi Kung

Ontem tive a minha segunda aula de Qui Gong. O Rafael tem a amabilidade de oferecer aulas gratuitas de Qui Gong à comunidade e eu propus-me ajudá-lo neste projecto. Tem sido muito interessante e eu, preguiçosa como tudo, lá me tenho deslocado às aulas. Ontem, apesar de termos estado a praticar as posições da aula anterior, senti-me tão bem, tão imersa no momento que nem me apetecia sair da aula. Poderia ter continuado por horas...

O Qui Gong é o exercício adequado para mim (para além da dança, claro) - não implica muito esforço, nem movimentos bruscos. É um fluir que me agrada, que me embala... Só tenho pena de ontem não termos tido uma musiquinha a acompanhar, como na aula anterior, mas vou tratar disso pessoalmente para a semana.

Não me apetece falar sobre a teoria do Qui Gong, isso podemos encontrar em livros ou mesmo na net. Quero falar, sim, de como entro e como saio da aula. Ontem foi um dia cheio de acontecimentos, apesar de não ter tido alunos na escola (estavam em visita de estudo). Cheguei à aula, às oito, com vontade de me deitar a dormitar. Mas a aula começou e tudo mudou. A minha energia mudou. A energia do grupo mudou. Cheguei a casa e isso notava-se. Eu notava. E gosto. Gosto mesmo de como me sinto a fazer Qui Gong. Agora só preciso de ir além da minha preguiça e praticar a auto-massagem Tui-Na e os primeiros dois movimentos diariamente.
Querem juntar-se a mim?

2 comentários: