25 fevereiro 2011

Nutrição




Ler nutre-me. Pegar num livro é como colocar uma taça de crème brulée de chocolate à minha frente e deixar-me deleitar pelo aroma, pelo sabor e pela sensação das texturas a desafiar o meu palato. Ler Eating Heaven é viajar pelas histórias de família, pelas receitas da infância e deixar-me aninhar ao colo do meu pai, cujo rosto se funde com os meus sonhos.
Terminar um livro traz-me uma sensação estranha, de perda, de morte até. É como se tivesse de me despedir das personagens, amigos de um determinado período de tempo, dos quais me custa separar. Por vezes, preciso de ir a correr buscar outro livro, para entrar rapidamente noutras vidas, encher-me de luz. Outras, preciso de fazer um período de luto, entre um livro e outro, entre uns amigos que deixo e outros para quem começo a abrir a porta.
Decidir qual o novo livro é outro desafio. Sigo o mesmo género ou o autor? Mudo completamente, de forma a afastar-me da história anterior, ou escolho um teme semelhante para poder sentir "Ah, esta personagem iria dar-se muito bem com a X do livro anterior..." A eterna dúvida, uma dificuldade em começar que se transforma numa envolvência quase doentia na nova narrativa.
Vou começar Pomegranate Soup, que trouxe da Irlanda há nem sei bem quanto tempo. Continuo no tema comida, já há 3 livros... Nutre-me. Nutre-me a alma.

3 comentários:

Carlos disse...

Por isso tens andado tão silenciosa !!!!BEIJINHOS E ABRAÇOS !

Nuno Mourinho disse...

Ler os teus posts é ler pura Poesia. És linda!

Filomena Afonso Alves disse...

Amigo Carlos, vem a Serpa, à Feira do Queijo! É este fim de semana! Vens hoje e regressas amanhã. Que tal? Beijinhos a todos aí em casa.